sexta-feira, 20 de abril de 2012

Por que ter o trigo em grão no meu armazenamento?

Pra quem não sabe muito sobre o trigo em grão, ou para os apaixonado por esse grão sensacional, como eu, ai vão perguntas e respostas interessantes!!!!
.
O que é o trigo integral?
Trigo integral é o grão que não passou por refinamento, apenas sendo retirada a casca mais exterior que não é comestível. Se passar esse grão num moinho manual ou elétrico, ele vira farinha integral!

Quantos tipos de trigo existem?

Basicamente dois: o branco e o vermelho. O trigo vermelho é de cor mais escura e tem um sabor mais acentuado. Já o trigo branco, mais claro, tem o sabor mais leve e deixa uma textura melhor nas preparações (e é o meu favorito!). Nutricionalmente falando eles são bem parecidos.

Por que ter o trigo em grão no meu armazenamento?
Já comentei em outro post alguns aspectos nutricionais do trigo e já sabemos que ele é mais nutritivo que a farinha branca processada que compramos no mercado. E pra quem não sabia o que fazer com o trigo, várias ideias deliciosas foram ensinadas aqui no blog! Pra quem ainda não está convencido ai vão mais algumas dicas:
  • O trigo em grão tem vitaminas do complexo B, que ajudam a manter os níveis de estresse mais controlados. Alguém ai não sofre estresse diariamente??(hehehehe) 
  • Ajuda a perder e mantêr o peso, porque tem TANTA fibra que impede a absorção de parte das calorias do alimento que você comeu. Dá uma sensação de saciedade bem maior. A fibra também absorve água no intestino, e isso faz com que não fique constipado, problema que vem se agravando cada vez mais com a péssima alimentação que vem se instalando nas nossas vidas com os alimentos mega processados. 


Onde devo guardar minha farinha de trigo integral?
Trigo moído perde o seu valor nutricional muito rapidamente além de correr o risco de ficar ranço por colocar seus óleos essenciais em contato com o oxigênio do ar durante o processo de moedura. Depois de moer trigo, feche-o bem e conserve na geladeira ou freezer. Nunca guarde a farinha de trigo integral próximo a alimentos com odores fortes pois a farinha absorve odores. (Ninguém quer um biscoito com sabor de cebola!)

Quanto trigo devo ter no meu armazenamento doméstico de longo prazo?
Para uma pessoa, por um ano deve-se calcular mais ou menos 140 kg de fontes de carboidratos (quase 12 kg por mês). Essas fontes podem se dividir entre trigo, arroz, massas, aveia, batatas em flocos, milho e outros de acordo com a necessidade da sua família e preferências.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Panqueca de Trigo em Grão

 Oi gente!!!
Aproveitando que estamos no finalzinho do concurso " Eu Quero Ganhar um Premio BEEREADY/ Trigo  em Grão", aí vai mais uma receitinha para quem é um amante desse maravilhoso grão!!!!



Uma pequena correção: eu usei na receita 4 colheres de sopa de ovo em pó, e para hidratar esse ovo em pó são necessárias  12 colheres de água, e não 6 como eu falei no vídeo, por que para cada 1 colher de sopa rasa de ovo em pó são necessárias 3 colheres de sopa de água.

4 Colheres de sopa rasas de ovo em pó (equivale a 2 ovos in natura).
12 colheres de sopa de água (não misture com o ovo!!!!a água vai direto pro liquidificador).
2 colheres de sopa de leite em pó
200 ml de água ( não misture com o leite!!!também vai direto para o liquidificador).
1colher de café de açúcar.
1 colher de sopa de fermento.
1 pitada de sal.
2 colheres de sopa generosas de óleo.
1 xícara de trigo em grão cru.

Bater no liquidificador, com toda a água da receita, o trigo em grão por 5 minutos até virar um creme. Depois acrescentar todos os outros ingredientes e bater mais um pouquinho só até misturar tudo!
Fritar as panquecas e servir com o que você mais gostar: maple, frutas, leite condensado, brigadeiro mole, geleias, etc.


quarta-feira, 18 de abril de 2012

O Essencial em Armazenamento Doméstico

Começar um armazenamento pode parecer um projeto complicado. Estou aprendendo essa habilidade gradualmente desde que decidi levar esse assunto a sério. Embora a economia no Brasil esteja relativamente estável, mundialmente não temos o mesmo quadro de estabilidade. Numa economia global como a que vivemos, não é possível dizer que a crise econômica, que assolou as grandes economias, foi ou será só uma marolinha para nós. 

Mas também não devemos nos desesperar e tentar montar nosso armazenamento todo de uma vez. Se você  é Mórmon, talvez queira começar com o conselho da Igreja, que se encontra no livreto "Preparar Todas as Coisas Necessárias" (em itálico, abaixo). A recomendação atual é ter um suprimento de 3 meses de alimentos que você já usa, um suprimento de água potável, uma reserva financeira e um suprimento de alimentos de longa duração.

Vamos ver cada um desses itens:

ESTOQUE PARA TRÊS MESES
"Prepare um pequeno estoque de mantimentos que façam parte de seus hábitos alimentares diários. Uma forma de fazer isso é comprar alguns poucos itens extras todas as semanas e ter um armazenamento suficiente para uma semana. Depois você poderá gradualmente aumentar seu estoque até que tenha o suficiente para três meses. Deve-se fazer um rodízio regular para evitar que estraguem."

Recentemente publiquei uma planilha, que chamei "Planejador de Curto Prazo" ,em nossa loja BeeReady. Acho essa ferramenta muito útil para planejar as principais refeições (desjejum, almoço, jantar e lanche). A idéia é pensar nas coisas que sua família deseja comer e que podem ser guardadas, por 3 meses ou mais, na embalagem original. Ao colocar os ingredientes na planilha, ela fará os cálculos de cada item e formará uma lista de compra. Fácil!

ÁGUA POTÁVEL 
"Armazene água potável para circunstâncias em que o abastecimento de água seja interrompido ou a água esteja poluída. Caso a água venha de uma boa fonte pré-tratada, então não haverá necessidade de mais purificação; de outro modo, purifique a água antes do uso. Armazene a água em recipientes fortes, resistentes e que não vazem. Considere o uso de garrafas comumente utilizadas para sucos e refrigerantes. Mantenha os recipientes de água afastados de fontes de calor e da luz direta do sol."

Detalhei esse assunto em dois posts: "Armazenar Água - Um Desafio" e "Ainda Sobre Água - Um Artigo da Seleções" . No primeiro post vocês verão uma foto interessante de uma torre para abrigar 3 recipientes de água. Quando vi essa idéia, não tive dúvida. Comprei 2 galões de 500 litros, comprei as madeiras e levei para um amigo marceneiro fazer uma igual. Em breve publicarei minha própria torre para vocês verem. Muito fácil!


RESERVA FINANCEIRA
Faça uma reserva financeira economizando um pouco de dinheiro a cada semana e aumentando gradualmente até conseguir uma quantia razoável (Preparar Todas as Coisas Necessárias).

No ano passado meu marido me pediu um cofrinho de presente de aniversário! Achei esse pedido estranho e engraçado, mas resolvi atendê-lo. Comprei um "cofrão" com cara de coruja (esse aí do lado). Todas as moedas que sobram nos bolsos e nas bolsas vão para ele. Já enchemos e esvaziamos esse cofrinho várias vezes. No final acabou sendo um presente para toda a família! 

Fizemos também uma poupança programada. Sempre que entra o salário na conta, uma parte vai para essa poupança e nem tenho que me preocupar com esse assunto. Assim como o cofrinho, várias vezes precisamos usar esse recurso para uma emergência. Que bom que o dinheiro estava lá. Dessa forma não precisamos usar o cartão de crédito e ainda manter nossas contas em dia.

ESTOQUE PARA MAIS TEMPO
Para períodos mais longos de necessidade e onde for permitido, faça gradualmente uma reserva para períodos prolongados com mantimentos que durem muito tempo, tais como trigo, arroz branco e feijão, e que você poderá usar para sobreviver. Esses itens podem durar 30 anos ou mais, quando embalados e armazenados adequadamente, em um local fresco e seco. Pode-se fazer o rodízio de uma parte desses itens no estoque mantido para três meses.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Armazenamento de Curto Prazo - 3 meses

Olá amigos do blog. Descobri algo na internet que estou ansiosa para passar para vocês. Diz respeito a planejar nosso armazenamento de curto prazo, ou seja, 3 meses. Esse tipo de armazenamento roda rápido na nossa prateleira, mas é ele quem dá a variedade que nossa família tanto gosta.

Planejar um armazenamento para 3 meses parece meio assustador, mas é MUITO importante! Se você tiver um aperto financeiro, não seria maravilhoso saber que pode cortar os custos com as compras do mês e ainda ter o alimento que sua família aprecia e está acostumada a comer?

Então, o que descobri? Uma planilha Excel, que vou chamar de "Planejador de Curto Prazo" (estou fazendo como os japoneses, copiando uma boa idéia e melhorando, porque traduzi para português! hehe!) Vou colocá-la na nossa loja www.beeready.com.br, perto da "Calculadora de Alimentos". Você pode ir à loja e baixar em seu computador. Se precisar de um tutorial, lá tem o link (que está em inglês, sinto muito!). Mas traduzi as instruções que está em uma das abas da planilha.

Você precisará determinar quais refeições são adequadas para sua família e fazer um plano baseado nessas refeições. Talvez você queira fazer isso numa Noite Familiar - pode ser divertido. Mas se ficar cansativo, divida em várias reuniões familiares, até o plano ficar pronto.

No início achei que seria muito complicado, mas depois que comecei a "brincar" com a planilha, fiquei encantada com a possibilidade de planejamento que ela oferece. E olha, eu sempre fugi desse negócio de lista de compra, algo que meu marido e minhas filhas sempre cobraram de mim. Achava chato e sempre dizia que tinha a lista na cabeça. Agora vou tentar essa idéia e estou animada com a possibilidade de ter mais controle sobre minhas compras, refeições e principalmente, minha conta bancária.

Aqui vai um check-list para seu Armazenamento de Curto Prazo:

- Faça o download do "Planejador de Curto Prazo" que se encontra na loja: www.beeready.com.br- Leia as instruções que estão na aba "Instruções". Se tiver dificuldades em entender, veja o vídeo tutorial http://www.youtube.com/watch?v=riyjlGpj_14 (em inglês)

- Preencha a planilha, junto com a família. Comece planejando seus cafés-da-manhã, depois os almoços, os jantares e por fim os lanches. Você pode dividir grupo de refeições item em várias reuniões familiares.

- Depois de pronto, imprima o plano e coloque em local visível, onde possa sempre lembrar-se de rodar os alimentos.

- Use a planilha para fazer sua lista de compras e planeje comprar alguns itens extras todos os meses quando for ao supermercado. Não precisa ficar desesperado e sair comprando tudo de uma vez. Isso não é uma forma sábia de fazer armazenamento. A melhor forma é reservar um valor fixo, que caiba no seu orçamento mensal, para usar no armazenamento.

- Preste atenção às promoções, assim poderá comprar com preços melhores.

- Atualize sempre sua planilha, para não perder o controle e manter continuamente seu armazenamento de curto prazo, depois que ele estiver completo.

Espero que essas dicas tenham sido de proveito para vocês. Foi para mim, com certeza!

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Ainda sobre a Água - artigo muito esclarecedor da revista Seleções

Desculpa gente, esse artigo é um pouco longo, mas muuuito esclarecedor sobre a água, já que estamos falando de água para armazenamento. Ele foi extraído da revista Seleções Reader's Digest. Se tiver paciência, leia até o fim e você vai conhecer muito mais sobre esse assunto e será capaz de fornecer uma água de boa qualidade para sua família

O que há na garrafa de água mineral?
Nomes e rótulos atraentes e que evocam paisagens imaculadas nos convenceram de que a água mineral é a bebida mais pura do mundo. “Mas ninguém deve pensar que a água engarrafada é mais regulamentada, protegida ou segura do que a água da torneira”, afirma Margaretha van Weerelt, chefe do Laboratório de Microbiologia Aquática do Instituto de Biologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) . “As agências concessionárias são obrigadas a entregar em sua casa água apropriada para o consumo”, diz.

Algumas águas engarrafadas vêm de fontes cristalinas e outros mananciais intocados – mas não todas. A Aquarius, da Coca-Cola; a Cristale, vendida no Sul do país; e a São Francisco, comercializada no Nordeste, são alguns exemplos.

A lei brasileira não proíbe o engarrafamento de águas provenientes de fontes artificiais, mas determina que as empresas que utilizam essas fontes dêem o tratamento e a mineralização adequados à água antes da comercialização.

Água mineral pirata
Nesta etapa, um dos maiores perigos para o consumidor é a água mineral "pirata" - que não foi fiscalizada pelos órgãos responsáveis e pode vir de fontes contaminadas por substâncias tóxicas ou microrganismos.

Em caso de dúvida, a Associação Brasileira da Indústria de Águas Minerais (Abinam) aconselha que se procure no rótulo o número de registro no Ministério da Saúde, bem como o endereço completo da fonte.

No entanto, não dá para confiar cegamente nos rótulos. A Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais lida todos os anos com casos de rotulagem inadequada. “As irregularidades mais encontradas são dados incorretos ou incompletos, como ‘Não contém glúten’”, explica Alessandra Alves Cury, especialista em Políticas de Gestão da Saúde da Superintendência de Vigilância Sanitária do Estado de Minas Gerais. Em 2000, um caso chamou a atenção. “Uma das indústrias solicitou o registro de água “diet”, conta. “Outro aspecto é o surgimento de produtos do tipo ‘Preparado Líquido Aromatizado’ e ‘Refrigerantes de Baixa Caloria’, que podem confundir o consumidor quanto à sua verdadeira natureza”, adverte ela.

A controvérsia não é apenas sobre a água engarrafada individualmente; a maioria das pessoas também bebe água de garrafão, seja no trabalho ou em casa.

Em 2006, a Pro Teste, organização não-governamental de defesa do consumidor, testou 15 marcas de água de garrafão vendidas no país. O resultado não foi negativo, mas preocupante: embora 80% não revelassem grandes problemas, os rótulos das águas de garrafão continham informação incompleta e quantidade errada de minerais, além de não mostrarem a data de validade ou instruções para conservação.

Outras três marcas de água de garrafão apresentaram a bactéria Pseudomonas aeruginosa. Ela não oferece risco, a princípio, para quem está saudável de modo geral, mas o achado representa falha no processo de desinfecção.

A contaminação da água mineral em garrafas é mundial
A contaminação da água engarrafada desde a sua fonte é tema preocupante também em outros países. A ONG americana Natural Resources Defense Council (NRDC) descobriu que amostras de duas marcas de água mineral estavam contaminadas por ftalatos, em um dos casos, excedendo os padrões para água potável da EPA, Agência dde Proteção Ambiental dos Estados Unidos. Essas substâncias químicas – utilizadas para tornar os plásticos maleáveis, e que são encontradas em cosméticos e fragrâncias, cortinas de chuveiro e até brinquedos de bebês – estão sob investigação cada vez mais minuciosa. Elas são interferentes endócrinos, que bloqueiam ou imitam os hormônios humanos, afetando as funções normais do corpo.

Quando expostos a níveis muito elevados de ftalatos durante os períodos críticos do desenvolvimento, fetos masculinos podem sofrer malformação nos órgãos reprodutores, inclusive a ausência de descida dos testículos. Especialistas relacionam os ftalatos à baixa contagem de espermatozóides.

As garrafas de água mineral não contêm essa substância química, o que significa que os ftalatos detectados pelo NRDC provavelmente entraram na água durante o processo de engarrafamento, ou estavam presentes na fonte original (também já foram encontrados ftalatos em água da torneira).

Legislação da água mineral engarrafada
As leis brasileiras são rigorosas quanto ao comércio de água mineral engarrafada. O produto está sujeito à fiscalização desde a sua captação até o consumidor final. O Departamento Nacional de Produção Mineral autoriza e monitora a exploração das fontes de água mineral no país. Para comercializá-la, a empresa deve cumprir à risca os padrões de qualidade determinados pelo órgão responsável, limitando-se a explorar apenas o que for concedido e sendo responsável pela mão-de-obra, pelos recursos e pela embalagem do produto. É preciso ainda registrar a água na Anvisa e no Ministério da Saúde.

Desde 2000, a Anvisa promove análises periódicas da qualidade de alimentos, o que inclui a água mineral engarrafada. Mas as ações de inspeção sanitária são responsabilidade dos órgãos estaduais e municipais. Só nos últimos dois anos, foram realizadas mais de 16 mil inspeções.

Quando uma marca é reprovada, os órgãos competentes adotam medidas legais para prevenir possíveis danos à saúde da população e impedir que o produto circule, ou então interrompem seu processo de fabricação. Dependendo do risco envolvido, a Anvisa pode adotar medidas de intervenção em âmbito nacional.

Os problemas do plástico para a natureza
A maioria das águas minerais vem em garrafas de tereftalato de polietileno, indicado no fundo da embalagem por um número 1, PET ou PETE. As garrafas, em geral, são seguras, afirma Hermes Cortesini, porta-voz da Abipet (Associação Brasileira da Indústria do PET).

“A resina PET é inerte, e só quando submetida a altas temperaturas, como em uma incineração não-controlada, pode liberar componentes químicos. Seu único problema é a durabilidade: o descarte indevido prejudica o meio ambiente porque o material não é absorvido pela natureza.”

Como armazenar e transportar galões e garrafas de água mineral
As altas temperaturas, no entanto, não são o único risco potencial; o local onde armazenamos as garrafas de água e outros itens que guardamos juntos no mesmo espaço também podem causar problemas. Especialistas aconselham a não armazenar água na garagem, sob o sol, perto de fumaça de gasolina, pesticidas e outros produtos químicos que poderiam, no mínimo, afetar o cheiro e o gosto da água.

“O mesmo cuidado vale para a loja onde o consumidor costuma comprar o galão ou a garrafa. Não compre em postos de gasolina, onde as embalagens ficam expostas a combustíveis, ou armazenadas em locais pouco limpos”, aconselha o professor Delmo Vaitsman, coordenador do Laboratório de Desenvolvimento Analítico do Instituto de Química da UFRJ.

O professor afirma que o problema não está só na armazenagem, mas no jeito como transportamos a água. Muitas pessoas bebem água comprada em galão e deixada num carro quente, horas a fio. “A exposição ao sol, desta maneira, altera o equilíbrio químico, especialmente se for uma água mineral da fonte. Isso não tem a ver com a garrafa, mas com os componentes que já estavam na água quando ela foi recolhida.” Segundo ele, a exposição ao sol também é o motivo pelo qual, por exemplo, há formação de limo em alguns bebedouros. “Essas algas não fazem mal, mas o consumidor sente uma repulsa inicial, e pensa que a água está estragada, imprópria para o consumo.”

Mas, a exemplo de outros debates sobre produtos químicos, ainda não sabemos quais os riscos exatos para a saúde que as embalagens de plástico e o armazenamento equivocado da água mineral podem oferecer.

Enquanto isso, pesquisadores no mundo inteiro já levantaram bandeiras de advertência com relação a certas substâncias químicas específicas. O antimônio, por exemplo, é um produto químico potencialmente tóxico utilizado na fabricação do PET. Ano passado, cientistas da Alemanha descobriram que, quanto mais tempo uma garrafa de água fica armazenada (na loja ou em casa), mais antimônio desenvolve. Altas concentrações de antimônio podem causar náusea, vômitos e diarréia. No estudo, os níveis encontrados eram inferiores aos considerados seguros pela EPA, mas trata-se de um tópico que requer mais pesquisas.

Em julho de 2007, um comitê dos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos (NIH) concordou que o bisfenol A (BPA), produto químico encontrado no policarbonato (utilizado na fabricação de garrafões de água para resfriamento, garrafinhas de água de uso esportivo e outros plásticos rígidos, mas não do PET), pode causar problemas neurológicos e comportamentais em fetos, bebês e crianças.

Outra pesquisa, patrocinada pelos NIH, descobriu que o risco era ainda maior, afirmando que a exposição de adultos aos efeitos do BPA provavelmente comprometeria o cérebro, o aparelho reprodutor feminino e o sistema imunológico.
Qual é o custo da água mineral de garrafa PET para o ambiente?

É importante conhecer os riscos potenciais para a saúde do indivíduo, mas a água engarrafada também afeta a saúde do planeta.

“A água engarrafada é um negócio em expansão, e isso traz grande impacto ambiental, que pode ser evitado pelo simples gesto de se beber mais água do filtro”, adverte Wagner Victer, presidente da Companhia de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae). Enquanto lutamos para reduzir o consumo de combustíveis fósseis, a água engarrafada faz com que ele aumente. As garrafas de PET são feitas de petróleo e, quanto mais garrafas utilizarmos, mais petróleo será necessário para encher, distribuir e produzir novas embalagens.

Cortesini assinala que não é só a água, mas também sucos, refrigerantes e outras bebidas engarrafadas em recipientes plásticos que contribuem para aumentar esses resíduos. “Muito está sendo feito para que a reciclagem não só aproveite esses materiais, como a própria indústria de alimentos utilize mais material reciclado em suas embalagens. No entanto, hoje, são poucas as empresas que obedecem aos padrões determinados recentemente pela Anvisa para a fabricação de embalagens plásticas a partir deste processo.”

Grande parte do apelo da água engarrafada está nas convenientes garrafinhas de uso individual. No entanto, menos de 20% delas são usadas mais de uma vez, de acordo com estimativas do Instituto Americano de Reciclagem de Recipientes. As garrafas restantes são jogadas em praias, ao longo de rodovias e em aterros sanitários, onde podem permanecer por mil anos.

Enquanto o percentual de plástico PET reaproveitado ainda é considerado baixo até em países desenvolvidos, o Brasil está fazendo sua parte de forma invejável. Estudos preliminares realizados pela Abipet indicam que, só em 2007, a reciclagem das embalagens de PET no Brasil teve um aumento de 18,6% em comparação com o ano anterior, chegando a 53%. Isto significa que 230 mil toneladas do produto receberam destinação adequada, acima das 194 mil toneladas registradas em 2006. “A perspectiva é de que, no balanço deste ano, a ser divulgado em dezembro, este percentual chegue a 60%, mais próximo de países como Alemanha e Japão, onde a separação do lixo é obrigatória. Com a diferença de que, aqui, os próprios empresários trabalham em parceria direta com os recicladores, reaproveitando o material internamente, mais do que em qualquer outro país do mundo”, revela Cortesini.

É um bom começo, mas sempre é preciso fazer mais – tanto da parte deles quanto da nossa.

Beba água da maneira correta, para beber água sempre
Preocupado(a) com o preço que seu hábito de beber água engarrafada cobra da Terra? Siga essas 5 dicas para o consumo ecologicamente correto da água.

Dica 1 - Use o filtro para tornar a água potável
Se sua água vem do poço, examine a qualidade dela uma vez ao ano. Em vários Estados brasileiros, a escavação indiscriminada de poços é proibida, pois pode prejudicar os lençóis de água potável, além de haver risco de contaminação por esgoto não-tratado. Se a água vier de fonte pública, verifique o relatório de qualidade, emitido pela concessionária responsável pelo abastecimento de sua cidade. Ela é obrigada, por lei, a fornecer estas informações, seja por meio de divulgação na imprensa ou na própria conta de água. Leia com atenção para assegurar-se de que sua água atende às especificações gerais e não apresenta elementos contaminadores. Para mais detalhes, acesse o site da Agência Nacional de Águas, responsável pela regulamentação das concessionárias: ana.gov.br.

Dica 2 - Leve água em um cantil ou squize e beba durante o dia
Leve sua água filtrada num recipiente reutilizável de aço inoxidável, vidro ou alumínio, e lave-o sempre que for usá-lo de novo. Alguns vêm com uma prática alça para transporte. O preço pode variar bastante. O modelo usado pelo Exército costuma ser mais barato, mas é possível achar cantis mais apropriados para determinados tipos de esporte. O preço varia entre R$ 12 e R$ 60.

Dica 3 - Verifique o bebedouro ou o filtro do escritório
Se sua empresa usa um filtro tipo purificador ou ozonizador, procure saber se ele funciona corretamente e se a manutenção periódica é feita de seis em seis meses, ou conforme o recomendado pelo fabricante. No caso de bebedouros com garrafões de plástico, fique atento: o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) baixou uma portaria em setembro com normas para produção e uso dos garrafões, limitando sua vida útil em três anos.

Dica 4 - Examine o rótulo da água de garrafa
Quando tiver de levar água engarrafada, escolha marcas reconhecidas pelo DNPM e pela Anvisa. Examine a garrafa. Caso tenha dúvida, procure os órgãos responsáveis para ver se o registro é válido.

Dica 5 - Evite consumir água exposta a altas temperaturas.
Não beba água de galão que tenha sido exposta a altas temperaturas, e não reutilize garrafas plásticas por muito tempo. Use garrafas de vidro na geladeira. Prefira recipientes de vidro aos de plástico.

Posso beber água da bica?
A água que sai de sua torneira provavelmente é segura. Em geral, as toxinas existentes na água potável não ultrapassam os limites considerados saudáveis pelo Ministério da Saúde, mas ainda há margem para preocupações. De um gosto esquisito à contaminação por chumbo oriunda de canos velhos, sua água pode ter adquirido coisas nocivas ao longo do caminho.

O que há de errado com o gosto da água da minha casa?
Algumas regiões do país estão sujeitas a determinadas toxinas, como despejo de fazendas e subprodutos industriais, como arsênico, que podem ocorrer de maneira natural no ambiente.

Se a cor mudar, ou o cheiro ficar muito ruim, entre em contato com a concessionária que atende o seu município. O procedimento varia, mas, em geral, será feita a testagem da água para determinar se o problema vem da concessionária ou da sua residência. Você também pode procurar o órgão responsável pelos recursos hídricos do seu Estado para obter mais informações, ou a agência reguladora correspondente, se houver.

Compre um filtro
As opções variam: jarras purificadoras, filtros de mesa com carvão ativado e unidades montadas na própria torneira, instaladas sobre a pia. Procure um modelo aprovado pelo Inmetro e limpe-o de acordo com as especificações do fabricante.

Faça você mesmo: água tratada
O gosto da água tratada com cloro é ruim? Ponha água numa jarra transparente de vidro e guarde-a descoberta na geladeira por 24 horas para que o cloro se dissipe no ar.

O que você precisa saber sobre o flúor
A maioria das águas engarrafadas não tem adição de flúor (se tiver, isso será mencionado no rótulo). As crianças estão consumindo cada vez mais água engarrafada e menos água do filtro fluoretada, o que pode estar relacionado a um aumento dos problemas dentários. Suzana Beatriz Fúcio, professora de Odontologia da Universidade Federal do Paraná, tranqüiliza os pais. “O uso de dentifrício uma vez ao dia fornece a quantidade adequada de flúor para a proteção dos dentes da criança”, afirma ela. “Além disso, quase toda a água fornecida por vias públicas no país é fluoretada, com exceção de áreas rurais ou que não dispõem de saneamento. Mesmo sem consumi-la diretamente, toda a família tem contato com a água fluoretada, seja ao comer alimentos preparados com ela, ou ao utilizá-la para bochechos durante a escovação."

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Armazenar Água - Um desafio!

Um dos aspectos mais importantes da preparação para emergências é o armazenamento da água, mas também o mais desafiador. Se temos dificuldade para encontrar espaço para armazenar alimentos, imagine para armazenar água, especialmente para quem vive em apartamento.

Há uns anos acompanhamos de perto as dificuldades dos moradores da região serrana do Rio de Janeiro por causa das enchentes e graves deslizamentos de terra. Algumas famílias ficaram dias "ilhadas", sem comunicação e sem abastecimento. Uma das maiores dificuldades, no entanto, foi  com a interrupção do fornecimento de água, tanto para beber como para cozinhar. Algumas pessoas estavam pagando R$ 80,00 por uma pequena garrafa de água.

A maioria de nós talvez viva fora de áreas de risco como esse, mas recentemente muitas famílias em São Paulo ficaram alguns dias sem água em casa, devido a problemas na represa de Guarapiranga.

Em meu condomínio ficamos um dia sem água porque uma da bombas que manda a água da rua para as caixas quebrou. Foi terrível ficar um dia sem lavar a louça, tomar banho e cozinhar. Tive que correr até o supermercado para comprar algumas garrafas de água para ter o que beber. Sinto tristeza em reconhecer isso, mas foi uma grande lição que aprendi.

Estudando sobre esse assunto, aprendi o seguinte:


"As garrafas plásticas PETE (ou PET) comercializadas com água potável podem ser armazenadas. Observe as datas de validade como uma orientação para fazer o rodízio. Evite as garrafas plásticas que não são PET.

Se você preferir armazenar a água de outra forma, considere o seguinte:

Contêineres

  • Use somente contêineres fabricados para uso de alimentos. Pequenos contêineres de plástico PET, baldes ou galões mais pesados de plástico também funcionam bem. 
  • Limpe, higienize e lave o contêiner por inteiro antes de usá-lo. Uma solução sanitária pode ser preparada da seguinte forma: 5 ml (1 colher de chá) de água sanitária para 1 litro de água. Use somente água sanitária que não contenha espessantes, perfume ou aditivos.
  • Não use garrafas plásticas de leite porque não selam bem e podem se desintegrar ao longo do tempo.
  • Não use contêineres usados anteriormente para guardar produtos não-alimentícios.

Pré-tratamento da Água


Água tratada com cloro não necessita de outro tratamento quando armazenada em contêineres limpos, usados previamente para guardar alimentos.

Água não tratada deve receber tratamento com água sanitária. Adicione 8 gotas de água sanitária (5 a 6% de hipoclorito de sódio) para cada 4 litros de água. Use somente água sanitária que não contenha espessantes, perfumes ou aditivos.

Armazenagem

  • Os contêineres devem ser esvaziados e recarregados regularmente.
  • Armazene água somente quando um vazamento em potencial não vá danificar sua casa ou apartamento.
  • Proteja sua água armazenada da luz e do calor.
  • O sabor da água armazenada pode ser melhorado jogando a água entre dois recipientes repetidamente antes de sua utilização.


Purificação da Água
Se a fonte de suprimento da água não for segura ou poluída, deve ser purificada antes de usar. A purificação da água é feita em duas etapas:

Etapa 1 - Clarear
Primeiramente a água turva ou suja deve ser clareada. Deve passar por um filtro de papel, toalha ou algum outro tipo de filtro. Deve ser deixada em repouso e então a água limpa da parte superior deve ser cuidadosamente derramada em outro recipiente. A água filtrada ou clareada deve sempre ser desinfetada antes do uso.

Etapa 2 - Desinfetar

Fervura - Ferver a água por 3 a 5 minutos eliminará a maioria dos micro organismos existentes na água. Entretanto, ferver pequenas quantidades de água pode aumentar a quantidade de contaminantes tóxicos se presentes na água.

Alvejante - Adicione 8 gotas de água sanitária (5 a 6% de hipoclorito de sódio) para cada 4 litros de água. Use somente água sanitária que não contenha espessantes, perfumes ou aditivos.

Filtros de água - Podem filtrar e purificar efetivamente a água contaminada com micro organismos, produtos químicos tóxicos e metais pesados. Sua eficiência depende do design, condição e uso apropriado.

Fonte: www.providentliving.org